A chama da paixão


Um texto para refletirmos.


“Não deixe a chama apagar” - a frase que está em todo globo repórter e reportagem sobre relacionamentos duradouros. Eu estive pensando nisso. Na chama que não pode apagar. E eu me lembrei de todas as vezes, nesses últimos 12 anos, em que a chama se foi.⠀ ⠀


Fugiu, desapareceu, escafedeu-se. ⠀ Oh, Arlindo Orlando volte! (Não resisti.)⠀ ⠀ A chama se apaga. Há fases em que a gente fica com birra do outro. Há atitudes que decepcionam. Épocas em piloto automático. E tempos sem tesão. Estabelecer a vida a dois com base no pseudofogo da eternidade é um dos conselhos mais rasos que a gente pode receber.⠀ ⠀


Um relacionamento é construído com parceria, esforço, paciência e muita, muita comunicação. Parece mole, mas em um mundo de fraldas, panelas, boletos, lixo de banheiro e esponja de pia suja, dá preguiça até de discutir a relação. ⠀ ⠀


Não é o fogo que fortalece um casal. São as conversas difíceis e os constantes ajustes. É o verbalizar o que não tá legal, é a escuta ativa, são os pedidos de perdão e a vontade de fazer diferente.⠀ ⠀


É o respeito. Um pacto de consideração apesar do peso e da vontade de comprar uma passagem só de ida. ⠀ ⠀


Há também os conflitos internos e a sensação de que algo está faltando. Esses facilmente extinguem qualquer chama. É preciso muita inteligência emocional para perceber que a falta é em nós, que é uma peça do nosso próprio quebra-cabeça. Tão mais fácil arrastar o outro para os nossos dilemas. Colocar um rosto na insatisfação que sentimos pela gente.⠀ ⠀ O fogo da paixão apaga. O que fica é a insistência em reacendê-lo. Uma, duas, dez, trinta vezes. Depois da chegada de cada filho. Após a crise financeira, emocional, existencial. Depois da fase estranha, da mudança de carreira, de visual, de cidade.⠀ ⠀


O que fica são os resgates, o voltar a priorizar a relação. Momentos construídos com planejamento e insistência. Episódios que nos fazem esquecer que, até pouco tempo atrás, tudo estava por um fio.⠀ ⠀ Fogo nenhum segura relacionamento. ⠀


Mas pequenas doses de amor, algumas de diálogo, muitas de atitude, e duas pessoas decididas, sim, conseguem fazer com dois gravetos, um fogaréu.


Autora: @rafaelacarvalhoescritora

4 visualizações0 comentário

2019-2020 © TherAppy | Termos de Uso