A decisão de ser mãe

De onde vem e até onde vai o desejo de ser mãe?

Vem da construção cultural que diz que a mulher serve para reproduzir? Vem da educação familiar que cria a menina pra ser mãe e dona de casa? Da cultura que diz que pra ser uma mulher realizada é preciso ter um marido e um filho? Do medo de ficar sozinha na vida adulta e velhice? Vem do desejo de ser mãe? Ou foi indesejada? Pode ter sido um descuido ou pode ter sido um abuso. Independente da origem, ser mãe é uma decisão da mulher.

Unicamente da mulher? Nem sempre.

Se a mulher não tem um companheiro então sim, a decisão é unicamente dela, se sofreu um abuso, a decisão deveria sim, ser unicamente dela e não da Justiça.

Mas, se a mulher tem um parceiro, essa decisão deve passar por ambos, não é somente sobre o desejo de ser mãe, existe também um desejo de ser pai, ambos deverão decidir, um não pode privar o outro deste sonho.

A última palavra deve sim ser da mulher, aliás o corpo que se modifica é o dela, o corpo que sofre com a gestação é o dela, mas a decisão de serem pais ou não, deve ser dos dois. A mulher não tem o direito de tirar o direito de um homem ser pai, assim como o homem não pode obrigar que a mulher seja mãe.

Tudo isso envolve uma longa discussão entre ambos e às vezes é necessário buscar ajuda de um psicólogo, pois se trata de uma decisão que gera angústia, ansiedade, conflitos no relacionamento, etc.

Se existir respeito, companheirismo e amor no relacionamento, mesmo que os desejos sejam diferentes, é possível que novas ideias sejam construídas e que juntos vivam novas experiências, seja sendo pais ou sendo um casal sem filhos.


20 visualizações

2019-2020 © TherAppy | Termos de Uso