Como desenvolver o amor-próprio?


Amor-próprio é a raiz da autoestima. Cuidando dele, torna-se mais fácil trabalhar o poder pessoal.

Em diversos momentos de nossa vida, passamos por situações, que podem se tornar mais leves quando enxergamos pela ótica do amor-próprio. Sendo assim estamos mais preparados para os bons momentos ou para vivenciar mais positivamente as decepções, dores, e tantas situações desagradáveis que se mostram inevitáveis em nossa vida, precisamos estar minimamente de bem com nós mesmos.


Ao desenvolver o amor-próprio, deixamos de ser prisioneiros do medo e nos tornamos capazes de assumir as rédeas de nossa vida.


Considero que o amor-próprio seja um dos dois pilares que sustentam a autoestima. O outro é o poder pessoal. Enquanto o poder pessoal se mostra associado à autoconfiança, o amor-próprio se relaciona à nossa autoaceitação. Portanto, é preciso fortalecer ambos para nos sentir verdadeiramente bem. Cuidando dele, torna-se mais fácil trabalhar o poder pessoal.


Devemos sempre levar em consideração nosso nível físico e mental. É sempre importante levantarmos as seguintes questões:


• Observe seus pensamentos e a maneira como trata a si mesmo. Você se trata como seu melhor amigo(a), procurando se motivar, acolher, estimular, aceitar?


• A maneira como o mundo lá fora funciona por vezes nos traz muitas cobranças e julgamentos. Você acaba também se julgando e se cobrando? A maneira como você pensa e concebe o mundo e a vida lhe ajuda a promover harmonia, leveza, motivação, alegria?


• Perceba se certas crenças sobre a vida e aspectos específicos da vida não estão lhe atrapalhando.


• Como você alimenta sua mente, seja por meio de leituras, filmes e conversas? Perceba se você alimenta com reclamações, pessimismo e questionamentos destrutivos.


• É preciso aprender a nutrir a mente positivamente. Você procura enxergar os aspectos positivos das situações e os aprendizados que elas lhe trazem?


Pensando em todas essas questões, devemos levar em consideração que as mudanças podem ser realizadas de acordo com o seu ritmo.

Sempre respeite os seus limites e seu ritmo, procurando ter cuidado, paciência, acolhimento e a cada vez que sentir que falhou, tente se motivar para conseguir melhorar.

.

.

.

@psilanacalixto





17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

2019-2020 © TherAppy | Termos de Uso