Perdão e Saúde Mental


A necessidade de perdoar surge a partir do momento em que vivenciamos traumas e experiências negativas que nos levam a atingir elevados picos de estresse, criando assim uma forte memória emocional. Sendo assim, ao recordar a situação, vivenciamos todos os sentimos negativos associados (raiva, angústia, ira, rancor, etc), mesmo tendo passado muito tempo do ocorrido.



Carregamos essas sensações sobre a situação e até mesmo sobre as pessoas envolvidas. Quando isso acontece, o sofrimento é vivido repetidas vezes, trazendo sempre o mesmo sofrimento e indignação, fazendo com que o indivíduo viva preso a essa vivência, muitas vezes impedindo que as novas coisas boas comecem a acontecer na sua vida.



Quando isso acontece a pessoa pode viver constantemente ansiosa e angustiada, desenvolver depressão, apresentar desânimo sobre a vida e até mesmo ter uma visão sempre distorcida voltada para o pessimismo. Isso acontece pelo fato de que todo o rancor que já foi vivido ainda é carregado e instalado na nova realidade, mesmo ela sendo totalmente diferente do que já foi vivido.



Perdoar não é passar por cima ou fazer de conta que nada nunca aconteceu. Perdoar é significa reconhecer que o fato aconteceu no passado, ressignificar, olhar o aprendizado e seguir em frente, de maneira que ao se recordar do que aconteceu, não exista mais sofrimento e angústia por exemplo. É deixar para trás o rancor, a mágoa, a ira que tanto atrapalha a saúde física e mental. É preciso tratar o perdão como o bem que se faz a si mesmo, e não pelo outro.



A terapia pode te ajudar nesse processo e te auxiliar na compreensão da necessidade do perdão e como a falta dele pode interferir diretamente na qualidade da sua saúde mental. Se você sente que ainda "carrega" de forma árdua um trauma ou uma experiência negativa do passado, agende uma consulta, um profissional pode estar te conduzindo nesse processo.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo