Quando a família é conivente a violência.


Ao fazer pesquisas a respeito do abuso sexual, percebi alguns fatos muito dolorosos que envolve grande parte das famílias de vítimas dessa violência. O agressor faz parte da família da vítima ou é íntimo, a maioria dos abusos ocorrem com crianças e adolescentes e O pacto do silêncio!


Infelizmente a instituição familiar, que deveria desempenhar a proteção, por vezes acaba acobertando o agressor, sendo conivente aos abusos. Seja movidos por medo, vergonha da exposição pública ou por quererem "preservar" a família, o pacto do silêncio, não só colabora para que o agressor fique impune, como reforça a vivência traumática da vítima, aumentando danos psicológicos, sentimentos de culpa e tristeza profunda entre tantos outros tipos de adoecimentos.


Mas por que a família encobre a violência? É uma pergunta que muito me fiz ao pesquisar! Até passar por uma situação parecida na família. Uma adolescente foi abusada sexualmente pelo tio e não vi comoção por parte dos familiares em proteger a vítima. Ninguém toca no assunto, ninguém buscou interrogar o agressor, todos mantiveran-se neutros, não querendo se indispor com nenhuma das partes.


Triste é saber que isso não é exceção, o abuso passa a ser um segredo familiar onde ninguém tem permissão em tocar no assunto. Por vezes estão envoltos em cegueira psicológica e não conseguem ver aquela pessoa tão querida é de fato um agressor sexual! Agressores tem cara? Jeito? Tipo? Será que também evitamos tocar no assunto enquanto família por que não queremos admitir que falhamos? Falhamos em não proteger, em não perceber e principalmente por que nunca esperamos que isso aconteça conosco.


Existem vários porques nesta poeira jogada para baixo do tapete. Educação sexual é extremamente necessária, converse com seu filho, lute por ele e não compactue com o silêncio.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo