Sobre o “novo normal”…



Com o isolamento social, passamos abruptamente por várias mudanças de hábitos. Mudanças significativas nas práticas profissionais, principalmente com a grande aderência ao home office. Alteração nos padrões alimentares com a ingestão de alimentos mais saudáveis pela possibilidade de cozinhar em casa uma alimentação mais balanceada; e, em contrapartida, o excesso alimentar ocasionado pela ansiedade por estar vivenciando um momento de isolamento. O boom do e-commerce. Uma maior atenção ao corpo e à saúde mental. Um aumento do nível de ansiedade e estresse.


E esse movimento para adaptação ao novo cenário que se impôs, está demonstrando a possibilidade de (re)adequarmos nossa rotina em prol daquilo que passa a fazer mais sentido às nossas vidas. Estamos caminhando para uma sociedade mais consciente, empática, solidária e ainda mais “virtualizada”. 



Muito se diz sobre o “novo normal”. E o que é normalidade?


Para entendermos o “novo normal”, primeiramente, precisamos entender o conceito de normalidade. Em que, “comum” é aquilo que o outro tem e com o que me identifico. “A normalidade, portanto, seria a constituição de um padrão que assegura às pessoas que estão contidas nele uma certa proteção, segurança, continuidade, e, portanto, sobrevivência.” (SCHIRATO)



Mas, afinal, o que é o “novo normal”?


A transformação digital surge para agilizar processos e garantir eficiência. Isso introduz a inteligência artificial em processos anteriormente realizados por profissionais e exige uma rápida adaptação cultural tanto das empresas quanto de seus funcionários.


Com isso, são grandes as possibilidades de extinção de postos de trabalho, abrindo espaço, porém, para a grande demanda de profissionais para atuar por trás de toda esse aparato tecnológico.


O mundo desacelerou e a maioria das pessoas está se conectando a atividades mais essenciais, anteriormente deixadas em segundo plano. Todas essas mudanças levaram à reflexões sobre a rotina acelerada, às relações, às emoções, à vida familiar, ao conhecimento e ao bombardeio de informações e ao modo como consumimos.


Assim, o novo normal é o novo padrão comportamental que passaremos a adotar em nossas vidas para garantirmos a nossa sobrevivência. A ONU – Organização das Nações Unidas, inclusive, lançou um documento com as diretrizes de um mundo regido pelo “novo normal” para a resposta socioeconômica imediata à COVID-19: responsabilidade compartilhada, solidariedade global e ação urgente para as pessoas necessitadas, com a proteção de empregos, empresas e meios de subsistência.


Estamos em meio a uma tempestade que não fazemos ideia de quando irá parar. E, temos que vivenciar um novo normal sem preparação prévia. É o que diz o famoso jargão: estamos trocando o pneu do carro com ele andamento. Tudo isso gera medo, ansiedade. Mas é o momento em que conseguimos chegar a conclusão de que existem muitas coisas das quais não temos controle.


O “novo normal” não se trata de uma adaptação a um mundo com um novo vírus mortal, e, sim, a um novo modelo de existência em que foram cruelmente afetadas as condições econômicas, financeiras, profissionais, sociais, de saúde e humanitárias de todo o mundo!


Então, viva o presente! Respeite suas emoções. Não se cobre tanto. Aceite essa nova realidade e tente fazer os ajustes necessários para viver de forma saudável, física e mentalmente, em meio a essa fase de ressignificação.






SCHIRATO, Maria Aparecida Rhein. Novo Normal: entenda melhor esse conceito e seu impacto em nossas vidas. INSPER. mai/2020. Disponível on-line.

2 visualizações

2019-2020 © TherAppy | Termos de Uso